Google+ Followers

quinta-feira, dezembro 07, 2006

A Guimba

Deu o último trago e jogou a guimba pela janela. O incandescente objeto viajou por doze andares até encontrar um toldo amarelo pelo caminho.Atravessou a lona com o que restou de sua brasa e morreu numa xícara de café. O freguês do bistrô, que lia distraído a página de classificados do Diário da Tarde, levou sutilmente a xícara até a boca sem perceber que na espuma de seu expresso havia uma interferência. Bebeu o café e o devolveu aos ares com os mesmos lábios que já gritavam o garçom:
_ Que absurdo é esse? Quem fez essa brincadeira de mal gosto? Eu exijo uma explicação muito convincente! Onde já se viu, uma guimba de cigarro no meu café!
_Perdão, senhor, não estou entendendo!
_Como assim não está entendendo? Por um acaso o café aqui vem com guimba no lugar do biscoitinho de nata?
_O senhor está me dizendo que tem uma guimba no seu expresso?
_Olha, seu inútil! Não está vendo aqui na mesa? O que me diz dessa palhaçada?
O garçom coçou a cabeça, fitou os olhos no objeto encharcado, na xícara, no freguês, depois se atreveu:
_Eu lhe trago outro café.
O homem encheu os pulmões com violência, franziu a testa e soltou:
_Chame seu superior.
Segundos depois voltou o garçom trazendo um baixinho de bigodes que dizia ser o dono do bistrô. O freguês, sem rodeios, puxou um documento da carteira e em pouco tempo as portas do estabelecimento foram lacradas.
O homem que tomava tranqüilamente seu café e lia o Diário da Tarde era um impaciente funcionário da vigilância sanitária. Além de fechar o bistrô por tempo indeterminado, aplicou uma multa ardente pelo fato, que foi paga pelo garçom pouco antes de ser demitido.
O baixinho de bigodes desolado com a circunstância, bateu seu automóvel na volta pra casa subindo o prejuízo e a desgraça daquele dia.
O garçom, ao reencontrar a esposa e esclarecer-lhe o episódio e suas conseqüências, fora mais uma vez chamado de inútil e abandonado em seguida.
Meses depois, eis o que o arremesso inconveniente causou:
O baixinho de bigodes abriu uma casa lotérica e foi assaltado três vezes;
O garçom matou a mulher e se enforcou;
O vigilante sanitário nunca mais tomou café.
E o cara do décimo segundo andar?
Este fora internado há duas semanas com enfisema pulmonar na Santa Casa.

2 comentários:

josé disse...

Deine geschichte sind sehr gut. Sie haben auch viel Inhalt. Ich kann mir gut vorstellen, dass ein Mensch, der passiv raucht, schneller krank wird, als der aktive Raucher.
Estou aprendendo alemão. O que eu quis dizer é que sua histórias são muito bacanas. Tem conteúdo. E também consegui imaginar que um funmante passivo absorve o mal mais do que o fumante ativo. Parabéns e continue deslizando sempre próspera na sua jornada literária. Zé

josé disse...

Deine geschichte sind sehr gut. Sie haben auch viel Inhalt. Ich kann mir gut vorstellen, dass ein Mensch, der passiv raucht, schneller krank wird, als der aktive Raucher.
Estou aprendendo alemão. Jack, parabens sempre na sua jornada literária. O que quero dizer é que sua história é bacana. Tem contéudo. E que pude imaginar que um fumante passivo absorve o mal mais rápido que um fumante ativo. Abraço Zé