Google+ Followers

quinta-feira, fevereiro 13, 2014

Resumo dos relatos autobiográficos

     Tive 5 infâncias, uma para cada casa que morei, por isso escrevi 5 relatos autobiográficos, sendo que o primeiro deles, o “Relatos autobiográficos: a primeira infância”, tornou-se famoso por ter sido publicado no Caderno do Aluno I de português do 6° ano, o livro didático  usado pelas escolas públicas do estado de SP.
Muitos alunos me escrevem pedindo um resumo desses meus relatos, para entenderem um pouco mais do desenrolar da minha infância e recolher elementos que caracterizam um relato autobiográfico. Aqui está um resuminho então, “relatos curtos de Jacqueline Salgado”!

Primeira Infância:

            A casa em que nasci ficava no centro de Viçosa, MG, bem próxima aos trilhos do trem (bastava atravessar a rua) e nessa casa eu vivi até os 4 anos. Foi lá que realizei minha “primeira fuga”, passando por entre os balaústres da varanda. A minha prima Zizi ajudava a tomar conta de mim, de tão levada que eu era! Foi lá também que tive uma babá chamada Lúcia, ela tinha o estranho hábito de espiar os defuntos no necrotério, e me levava junto com ela, então eu via gente morta de tudo que era jeito, mas eu não tinha medo porque não entendia nada. Nessa época eu também gostava muito de água, e quando fomos para Pirapora ver o rio São Francisco, fugi de novo e fui parar num poço de água de chuva, pensando que era o rio!

Segunda Infância:

            Nessa casa eu fui muito livre e feliz! Ficava numa espécie de fazenda do governo federal, era a sede da antiga FUNABEM, onde meu pai trabalhava. A casa ficava de frente para um estábulo onde viviam meus amigos Paraná e Paraíso, um boi e um cavalo bem mansos, que me acordavam de manhã, fazendo barulhos na minha janela, assim como meu avô, que imitava um galo para me acordar. Ao lado da casa ficava um belo lago, cercado de plantas aquáticas, com muitos patos e marrecos selvagens e outras aves do brejo, além do tantão de sapos e rãs que faziam um barulho gostoso a noite toda. Aos fundos dessa casa passava o rio Turvo, onde meu pai e seus amigos pescavam, o nosso quintal era enorme, parecia não ter fim, assim como minha liberdade!

Terceira infância:

            O bairro se chamava Silvestre, vivemos lá por cerca de 1 ano numa casinha antiga que pertencia ao meu avô. Vovô e vovó moravam ao lado, numa casa maior e sempre cheia de gente, por isso sempre tinha coisa gostosa para se comer, o dia inteiro a gente sentia o cheirinho dos doces, dos bolos e de todas as delícias que a vovó Julieta fazia em seu fogão a lenha! No quintal da nossa casa morava um pé de maçãs enorme, que dava frutos o ano inteiro, coisa rara na nossa região! Eu tinha 2 animais de estimação, o coelho Joca e a cabrita Boneca. Brincava o dia todo com meus primos Tulinho, Titito e Fofinho, seja na rua ou no quintal da casa da tia Zélia, a mãe deles. Íamos também à cachoeira, ao goiabal, ao pontilhão... Eram muitos os lugares divertidos de Silvestre!

Quarta Infância:

            Tivemos que nos mudar para o centro da cidade novamente, pois estava ficando difícil para eu ter que pegar o ônibus que me levava à cidade e depois seguir a pé até a escola. Era muito cansativo. Fomos, então, morar perto da casa dos meus outros avós, os pais do meu pai, na mesma rua onde morei na primeira infância, porém mais acima. Era um sobrado bem antigo, muito bonito e bem conservado, eu me sentia bem naquela casa, assim como nas outras. Ali eu tive uma tartaruguinha, na verdade um cágado de estimação, a “Tadinha”, que acabou devorada por algum gato ou gambá sem coração. Nessa casa também nós ganhamos nossa primeira piscina de plástico! Mil litros d’água para mim era o mesmo que um oceano inteiro! Em dezembro 1983, minha irmã e eu tivemos nosso maior natal, ganhamos cada uma, boneca, o berço da boneca e o carrinho pra passear com ela. Ali também nós começamos a sonhar com nossa primeira casa própria, que logo se tornou realidade!

Quinta Infância:

            Enfim, chegamos à quinta infância, à quinta casa! Nossa primeira casa própria, comprada com muito esforço. Era um apartamento duplex, que ficava no térreo de um pequeno prédio, então nós tínhamos um quintal só nosso, o que fazia o apartamento ter cara de casa. Isso era muito bom para as novas brincadeiras que eu inventava no barranco de terra. Mais uma vez os trilhos do trem estavam perto de mim, como na casa em que nasci, mas nessa casa eles passavam ainda mais perto, dava pra sentir o chão tremer quando o trem de ferro cortava a cidade. Eu adorava! Nessa casa eu tive muitos bichos de estimação, verdadeiros amigos que levo comigo na lembrança e ainda choro por eles, os cães: Xuxa, Cherry, Xuxete, Júpiter e Löwe; os gatos: Nina, Tigrinho e Roreves; o coelho Joca II e a galinha Pitizinha, que nasceu nas minhas mãos e passou a vida pensando que eu era sua mãe! Meu irmão Renan também nasceu nessa casa, e está lá até hoje!

       Bom, isso é só um resumo do resumo do resumo! Até a terceira infância vocês podem ler aqui mesmo no meu blog, a quarta eu envio por e-mail para quem quiser, e a última só esperando o meu livrinho de relatos sair, se não perde a graça, né?

Abraço a todos, obrigada pela leitura e bom trabalho na escola!


                                                 Jacqueline Salgado com 1 ano de idade!