Google+ Followers

quarta-feira, fevereiro 13, 2008

Caleidoscópio

Vou dormir.
Hoje são cinzas...
Não quero olhar a janela
Quero o meu caleidoscópio!
Tragam-me os cacos,Tragam-me as cores,
Deixem surgir as formas.Onde estará cada conta?
Pedaços de um eu retorcido Em busca do encaixe perfeito.
Rola nas mãos um destino
Entre um repouso e o outro,
E entre cada repouso
Um movimento arbitrário,
E a cada movimento,
Um tempo.
E cada tempo,
Efêmero.
Ainda são apenas cores,
Ainda são restos de cacos.
Só o cinza já se foi...
Não quero o meu caleidoscópio.
Não quero mais dormir.
Pra que dormir?
Pra quê?

(Jacqueline Salgado)

Um comentário:

joaocarlos disse...

Muito interessante!!